Category Archives: Conscientize-se

Tribo Apache

Nas canoas de couro que deslizavam pelos rios e atravessavam matas.

Assim chegamos do Norte Apache fugindo do massacre dos brancos desbravadores que queriam nossa terra, nosso alimento, nossa vida em troca da exploração dos bens, que pertenciam não a nós, mas a Mãe Terra.

Aqui encontramos o povo indígena disperso, desnudo, a maior parte submetida ao 17057c37chicote dos feitores que obedeciam ao Sinhozinho.

Muitas guerras, presenciamos, ao longo do Jequi e a tristeza ao assistir a língua e a cultura se extinguir.

Mas a Providência Divina enviou legionários para unir, fortalecer, reintegrar os povos dispersos.

As várias etnias dispersas e abandonadas voltaram a se agrupar.

Grandes chefes guerreiros, caciques deixaram marcas nesse solo bendito onde renasceram seres com grandes débitos com a humanidade.

Vindos de todo lugar, aqui, passaram por todo tipo de provação com o objetivo claro de se ajustarem com a Grande Lei.

E aqueles que há séculos se instalaram continuam ajudando, orientando, conduzindo a todo aquele que está perdido.

A Grande Tribo estará sempre presente, quando o objetivo for, servir, confortar, minimizar o sofrimento de nossos irmãos.

Salve Curumim e a toda tribo!

 

05out/16

Nem tudo

Nem tudo que o vento trás é saudade, alegria.

Nem tudo que brilha é bom.

A vida.

Ahh, a vida.

Ela começa e termina.

E o meio?

Só você que sabe.

Sabe lá o que a vida será.

Será o vento ou o que vem nele? Ele é que sabe.

Uma dádiva, um poema, um amigo, quem sabe?

Nem tudo na vida é discórdia,

Nem toda a vida é tudo.

Eu que o diga, um dia fui e agora voltei, tô aqui sem sentido.

Faz um caminho pra sua vida.

Não desperdice o tudo que tem.

Sem racionalizar, sem se empolgar, equilibra e vai.

Tem muito papel pra escrever tua história.

Usa cada linha e segue…

Psicografia – Márcio Bertezini – 05/10/2016

28ago/16

Sonho e Realidade

Quando se inicia a caminhada consciente o primeiro desejo é salvar a humanidade.

Depois de algum tempo gastando energia percebe-se que é impossível tal tarefa.

Surgindo, então, o segundo desejo que é salvar o seu país,  logo caindo na desilusão.

Para em seguida salvar a família, façanha incrível,  e o máximo que consegue é a família afastar-se e chantageá-lo.

Seu sonho transforma-se em frustração, e durante algum tempo você cai em depressão.

Para, então, perceber que a cada um cabe a responsabilidade da sua salvação.

E o sonho inicial transforma-se em capacidade de realização pessoal, e ao se tornar um individuo bom,  você estará direta ou indiretamente, “salvando”, primeiro, a si próprio e

com suas atitudes consiga ser exemplo para muitos.

Desfaz-se o sonho infantil para surgir a pessoa presente consciente do seu papel no mundo,

situando-se no contexto em que vive, com realidade e decisão.

Ieda Garcia