Category Archives: Textos

15abr/16

Voltar a civilização II – Arvore Asvatha ( ficus religiosa)

Começando pela raiz
As raízes pendentes até o solo significam as ações engendradas no mundo dos homens.
Sua seiva nutriz representa os gunas(qualidades) 
Os galhos alçam-se para alcançar o céu e vergam-se até a terra.
As folhas correspondem aos hinos védicos
Seus rebentos equivalem aos objetos sensoriais
É imperecível.
por Ieda Garcia – 10.01.2015
14abr/16

Filosofia Oriental

Relendo o Bhagavad Gita (Canção do Senhor), cada vez mais percebo o abismo que existe entre o Eu e o ego.

Creio que a maior dificuldade dos estudiosos de todas as épocas está em estabelecer as pontes para facilitar ao buscador esse tão grande empreendimento.

Os meios até então disponíveis não abrangem a realidade do ego, e não é muito difícil, as pessoas caírem nas armadilhas do ego, acreditando que já estão próximos do Eu.

Embora o Eu seja seu lado Divino, Superior, e faça parte da sua natureza ele permanecer em estado latente e consegue se expressar palidamente em alguns que já estão bastante adiantados no caminho.

É muito comum que pessoas que se dedicam as práticas de desenvolvimento técnico de certas energias para acelerar esse encontro, se esquecem completamente que paralelamente deve haver um treinamento e aprendizado constante para a aquisição de bens ético e morais, virtudes essenciais para estabelecer as bases seguras dessa ambiciosa empreitada.

É preciso adestrar a personalidade, conhecê-la em todos os seus aspectos e aprender não só domina-la, mas submete-la e transforma-la com a aplicação dos opostos, mas o que se tem feito até hoje é reprimi-la, sufoca-la e até negar-lhe a existência, como alguns autores o fazem com tanta maestria.

Admitir a existência do ego como parte inerente ao seu ser pode evitar a alienação, esquizofrenia e tantos outros distúrbios psíquicos, só é possível acessar o Eu pelo ego, não ignorando sua existência.

Talvez por esses equívocos produziram gerações de seres iludidos com a premissa de se tornarem iluminados pelo simples fato de se locupletarem de teorias sem a mínima base de vivencia, como se o intelecto fosse suficiente para leva-los ao Eu.
Gerações e gerações de seres continuam insistindo nesse posicionamento de “mestres” que continuam falando, ignorando o momento evolutivo dessa humanidade.

Os verdadeiros mestres nos informaram que os valores éticos, o fortalecimento da vontade, colocando nossas emoções no alto da transformação nos levará inevitavelmente a essa União.

Só se conhece o desapego através do apego, só se conquista a sabedoria quando se percebe a ignorância, só chegamos ao amor pela sublimação da paixão, as polaridades fazem parte de tudo, sem elas se cai na inércia.

Quando se tem como objetivo alcançar o Eu, aprenda primeiro a admitir suas fraquezas (ego) e ao conhecê-las iniciar então todo o caminho que te levará à auto realização.

Coloque uma trégua nessa guerra de teorias, e aprenda a se conhecer, se aceitar nas suas deficiências, não se puna nem se sinta culpado, cada um age pelas próprias referencias e as experiências diárias com o desejo de se melhorar vai diminuindo a distancia, abrindo pontes de comunicação com o Eu.

Aos poucos esse abismo onde muitos se perdem terá condições de guiar os seres de bem a alcançar esse tão nobre objetivo.

Por enquanto, vamos convivendo com as misérias humanas, pois não estamos reclusos nos Himalaias, mas chafurdados na lama do sofrimento alheio,
agindo como podemos para melhorar esse quadro.

Sem a ilusão de que a iluminação nos levará ao Nirvana sem que antes passemos pelas experiências tão humanas e necessárias para a morte do ego.

Como Buda disse uma vez perguntado sobre os desejos, respondeu:

” Eu desejo não ter desejos.”

Ieda Garcia – Jan 2015

 

 

07abr/16

Recuperar a Identidade

Quando você passa por uma porta e descortina um novo ambiente é impossível voltar e negar o que já foi visto.

Isso acontece quando você lê o livro Os Nephilins, a abertura, a consciência que essa leitura traz nos tira de milênios de atraso evolutivo, não dá para fechar as portas que se escancararam e nos mostrar uma parte da nossa historia.

Seria o mesmo que na condição de órfão encontrássemos nossos pais.

É reconfortante e assustador ao mesmo tempo!

Resgatar as origens faz parte do grande quebra cabeça. O por quê da nossa existência…

De repente, tudo ganha sentido, tudo se torna claro.

E a nossa pequenez diante da grandiosidade dos construtores dos mundos.

Isso nos deixa encantados com tanta engenhosidade e dedicação integral para possibilitar o desenvolvimento das humanidades e planetas.

Paralelamente podemos refletir o quanto pode se tornar significante nossas vidas, a partir do momento em que nos encaixamos nessa visão universal.

O viver para si, comum nessa sociedade, e passar a viver para todos, sem fronteiras nem distinções. Em qualquer ponto das galáxias haverá alguém compatível com as suas intenções e propósitos. Isso amplia consideravelmente sua visão de existir.

Nessa fase de transição e remanejamento da humanidade, quem sabe, possamos contribuir, diante as turbulências das almas comprometidas com as leis universais, e proporcionando a possibilidade aos seres se reverem e se posicionarem a favor das leis evolutivas, ajustando-se psiquicamente.  Abrindo campo as idéias construtivas, renovadoras, saindo do estágio de alma revoltada e adotando uma postura firme e determinada na reconstrução do seu ser, reintegrando, assim, a grande corrente de reequilíbrio e transformação desse planeta em um lugar onde todos possamos viver em paz, progresso e valores éticos universais.

Esta postura nos conecta com criaturas que já superaram seus apegos e hoje trabalham para a libertação dos povos escravos, transformando, assim, em cooperador efetivo, disciplinado, compromissado com esse ideal de povo liberto que um dia será.

Adiante Capelinos! Chega de guerrear contra si mesmo através da negação da pátria exílio. Aqui é possível se reeducar e reconquistar sua cidadania universal, seu passe livre para seu mundo de origem, mas é urgente começar. Não jogue fora mais uma reencarnação.  Reorganize-se. Coloque como prioridade as ações voltadas para o Bem comum, desapegando-se de tantas futilidades que lhe distraem, tiram-lhe o foco.

Faça escolhas que lhe enriqueçam internamente. Você levará para eternidade esse patrimônio que será base segura para lhe sustentar nos momentos difíceis e o passaporte de acesso a realidade que lhe tornarão um cidadão livre e comprometido com o Bem.

Ieda Garcia – Lelivéldia, 10 de janeiro de 2015.

 

06abr/16

Momentos de Crise

Boa noite a todos

Estamos vivendo momentos de crise em que cada um de nós está comprometido 

na restauração da ordem, do equilíbrio e da justiça desse País.

Cada cidadão hoje deve responder ao grande chamado interior, que exige

regeneração, mudança de paradigmas, para construirmos uma nação livre e 

responsável.

Todos devem olhar para dentro de si e começar urgentemente a reforma, 

que precisa de determinação, coragem, esforço no bem.

A transformação virá, mas não antes de amadurecermos,
tomando decisões, fazendo escolhas melhores para nossa vida que deve estar 

alicerçada em valores, e virtudes.

Desejo a todos sucesso nesse empreendimento,

não faltará forças e apoio a todo aquele que sinceramente se 

empenhar nessa conquista.

 Paz a todos.”    Psicografia em 06.04.2016 – por Ieda Garcia