Recuperar a Identidade

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someonePrint this page

Quando você passa por uma porta e descortina um novo ambiente é impossível voltar e negar o que já foi visto.

Isso acontece quando você lê o livro Os Nephilins, a abertura, a consciência que essa leitura traz nos tira de milênios de atraso evolutivo, não dá para fechar as portas que se escancararam e nos mostrar uma parte da nossa historia.

Seria o mesmo que na condição de órfão encontrássemos nossos pais.

É reconfortante e assustador ao mesmo tempo!

Resgatar as origens faz parte do grande quebra cabeça. O por quê da nossa existência…

De repente, tudo ganha sentido, tudo se torna claro.

E a nossa pequenez diante da grandiosidade dos construtores dos mundos.

Isso nos deixa encantados com tanta engenhosidade e dedicação integral para possibilitar o desenvolvimento das humanidades e planetas.

Paralelamente podemos refletir o quanto pode se tornar significante nossas vidas, a partir do momento em que nos encaixamos nessa visão universal.

O viver para si, comum nessa sociedade, e passar a viver para todos, sem fronteiras nem distinções. Em qualquer ponto das galáxias haverá alguém compatível com as suas intenções e propósitos. Isso amplia consideravelmente sua visão de existir.

Nessa fase de transição e remanejamento da humanidade, quem sabe, possamos contribuir, diante as turbulências das almas comprometidas com as leis universais, e proporcionando a possibilidade aos seres se reverem e se posicionarem a favor das leis evolutivas, ajustando-se psiquicamente.  Abrindo campo as idéias construtivas, renovadoras, saindo do estágio de alma revoltada e adotando uma postura firme e determinada na reconstrução do seu ser, reintegrando, assim, a grande corrente de reequilíbrio e transformação desse planeta em um lugar onde todos possamos viver em paz, progresso e valores éticos universais.

Esta postura nos conecta com criaturas que já superaram seus apegos e hoje trabalham para a libertação dos povos escravos, transformando, assim, em cooperador efetivo, disciplinado, compromissado com esse ideal de povo liberto que um dia será.

Adiante Capelinos! Chega de guerrear contra si mesmo através da negação da pátria exílio. Aqui é possível se reeducar e reconquistar sua cidadania universal, seu passe livre para seu mundo de origem, mas é urgente começar. Não jogue fora mais uma reencarnação.  Reorganize-se. Coloque como prioridade as ações voltadas para o Bem comum, desapegando-se de tantas futilidades que lhe distraem, tiram-lhe o foco.

Faça escolhas que lhe enriqueçam internamente. Você levará para eternidade esse patrimônio que será base segura para lhe sustentar nos momentos difíceis e o passaporte de acesso a realidade que lhe tornarão um cidadão livre e comprometido com o Bem.

Ieda Garcia – Lelivéldia, 10 de janeiro de 2015.

 

Comente:

Deixe uma resposta