Felicidade?

O que faz o homem feliz? Realizar desejos? Conquistar bens? Ter uma boa profissão? Boa situação financeira? Realização afetiva? Ao descrever essas possibilidades será que existe alguém capaz de satisfazer todos esses predicados? Durante o tempo cronológico que por aqui se passa haverá episódios relevantes que trarão momentos de exaltação emocional, alegrias passageiras que da mesma forma que chegaram se esvaem rapidamente…. E onde fica essa tão almejada felicidade? Como pode existir dentro de indivíduos egoístas um estado de felicidade genuína, permanente. Ao se adquirir bens materiais faz-se de uma satisfação temporária que preenche as carências internas, mas não traz o sentimento de realização. Hoje se vive uma sociedade infeliz que busca por todos os meios suprir a miséria humana, barzinhos, bebidas, drogas, relações sexuais sem afeto, reuniões sociais hipócritas, que descaracterizam totalmente a busca pela felicidade. Poucos desc0obriram a fórmula mágica para se alcançar esse estado de contentamento permanente. Algumas almas nasceram desprovidas de egoísmo e através da entrega, do amor e do serviço ao próximo vivenciaram a felicidade, o ato de servir. Essas lições deixadas por poucos, que sirvam de inspiração para se aprender a servir sem esperar recompensa ou qualquer tipo de retribuição. Esse é o pote de ouro que a humanidade deve perseguir, percebendo que o maior dos prazeres não substitui a verdadeira felicidade de servir. Por Ieda Garcia Lelivéldia, 01 de janeiro de 2020.    
Comente:

Deixe um comentário