Memórias

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someonePrint this page

É dia de Natal de um ano qualquer, presentes, mesa farta, família….

….todos brindam não se sabe mais o quê, perdeu-se o sentido. 

O vazio existencial, a necessidade de encontrar o significado, a alma

anseia e nessa busca duas mãos negras se estendem e te conduzem

com uma certeza profunda ao reencontro do caminho.

E assim o sentido cristico retorna e se concretiza na ação social

e humanitária.foto17

Vamos reconquistando nossa condição humana ao compartilhar nossa vida com os mais comprometidos com a Lei Universal.

Nas horas de pressão, dificuldades,  repousei meu coração nesses olhos que sempre falavam comigo e dizia:” – Vai filha não desiste não. Coragem.”

Nos momentos em que me sentia completamente sozinha,  você sentava ao meu lado e sem dizer nada, me ouvia.

Nos dias de revolta me confortava com frase: ”Tudo está certo”.

Em muitas situações ríamos pra valer,

nos divertíamos com coisas do dia- a- dia.

Quando eu me calava pela dor, você preparava a comida mais gostosa.

Metade da vida dedicada a mim e a minha família.

Enfrentamos juntas todas as dificuldades, desafios e nunca vi fraqueza, abandono, desânimo só por 5 minutos.

Obrigada Amiga que soube ser mãe, amiga e irmã.

Até breve, pois o trabalho continua.

Estivemos, estamos e estaremos unidas independentemente do que aconteça.

Você não deixou herança, mas nos legou o Vale como possibilidade

para o nosso crescimento humano.

Você trabalhou e nunca se estressou porque tinha convicção que era necessário fazer.

Ieda Garcia

Comente:

Deixe uma resposta