Minha Casa, Meu Corpo

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someonePrint this page

Infelizmente não o conhecemos;
Meu lugar que deveria ser bem familiar a todos nós que queremos nos melhorar como seres:

Minha casa, onde moro, tem a sala como um cômodo onde recebo meus amigos, e onde procuro deixar sempre bem arrumada para causar boa impressão.

No meu corpo:

– a sala é representada pela minha figura física, que enfeito para deixar o melhor possível e quando recebo um elogio me encho de orgulho.

– a cozinha, onde faço minhas misturas com o objetivo de me alimentar, crio verdadeiras alquimias. É representada pelo meu corpo astral, onde sobre o fogo da paixão arde meu caldeirão emocional que por sinal vive cheio e borbulhando e às vezes transborda, e nesse momento me conscientizo e tento um trabalho para transformar este conteúdo e muitas vezes consigo.

– o quarto, lugar de aconchego, onde descanso minha cabeça no travesseiro dos sonhos. É representado pelo meu corpo mental. Muitas vezes deitada penso tanto que de tão cansada acabo adormecendo. E a transformação acontece, e quando acordo, as coisas não parecem tão feias.

– o banheiro, lugar de limpeza, onde deixo meus dejetos do corpo físico, isso se o corpo emocional contribuir. Quando fico com prisão de ventre é porque retenho no plexo solar emoções que não consegui resolver. Compromisso e atitudes que não consegui cumprir, coisas que a sociedade me cobra e se chocam com o que penso.

– o quintal, …lá no fundo do quintal da minha casa tem uma casinha caiada de branco e que passei a utilizar para guardar coisas que eu quase não uso. E hoje resolvi entrar lá…é tão bonitinha por fora, mas quando tentei abrir, a porta estava emperrada. Forcei para entrar e lá dentro tinha muita coisa guardada e no meio do pó, dos anos enroscados nas teias do tempo. Lá no fundo, vi uma pequena luz branca, fraca, mas brilhante. Ao me aproximar percebi que a luz era o eu real, a minha essência, meu Deus pessoal esquecido, e esquecido porque fiquei a maior parte da minha vida na sala. Algumas vezes fui ao terraço sem me atrever a entrar em casa.

Confesso que perdi muito tempo, mas agora resolvi limpar minha casinha e resolvi fazer a luz brilhar em todos os cômodos. Não sei quanto tempo irá demorar.

Mas não tem problema, pois tenho todo tempo do mundo.

Por Sueli Borges

Comente:

Deixe uma resposta