Naquelas paragens eu avistei a vida!

Naquelas paragens eu avistei a vida!

Muitos anos atrás a época do recomeço.

Tudo era atraente, terras férteis, minha alma buscava novas experiências.

Eu, com um espírito desbravador, explorei o ambiente, quis ficar.

Conheci uma moça e formamos uma família.

Aquele lugar tinha algo diferente, ainda me lembro do cheiro da terra, nela plantei e tudo prosperou.

Mas a vida passa e hoje estou aqui.

Tenho guardado dentro de mim a vida vivida.

E hoje, olho aquela pobreza e isso dói meu coração.

Eles são irmãos de caminhada.

A cada um que se vence e sobrevive…minha alegria.

Jequitinhonha, terra de gente de valor, de fibra.

Sei que tudo tem um porquê!

Mas estarei sempre presente quando alguém necessitar,

e então, poderei oferecer a minha mão.

Aqui, muitas mentes vibram para que cada alma se liberte desta lida de sofrimento.

Almas ressequidas como a terra.

Quando a emoção começar a fluir, a terra ressequida irá amolecer e a vida voltará a brilhar.

Mas enquanto não houver manifestação, vamos nos unindo por aqui e fazendo o nosso trabalho, pois nunca larguei a lida em qualquer dimensão.

Vou me despedindo

Um amigo

Psicografia 05/06/2019 – por Telma

 

Comente:

Deixe uma resposta